POESIA PARA MUDAR O MUNDO - 2015 - BLOCOS ONLINE
Marina Irene Beatriz Polonio

MARINA IRENE BEATRIZ POLONIO - Nascida em Antonina, litoral paranaense, Marina foi a sétima dos nove filhos que teve o casal Pedro e Florinda Beatriz. A família mudou-se para Cambé, Norte do Paraná, por necessidade do trabalho que o progenitor fazia como agente do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Logo cedo, na então escola primária, demonstrou pendores para o estudo, leitura e escrita, o que lhe rendeu uma bolsa de estudos de parte do Governo Estadual, já no 2º ano. Adolescente, trabalhou como secretária e revisora na Organização Carlos Ribeiro de Jornais, de 1966 até meados de 1972, empresa proprietária de alguns jornais regionais, dentre os quais o "Cambé Notícias". Ali conheceu seu futuro esposo, o então professor José Moacyr Polonio Filho, tornando-se Marina I. B. Polonio. Tiveram dois filhos: Jean Carlo e Samantha (in memoriam). Realizou o primeiro e segundo graus na cidade de Cambé. Graduou-se Pedagoga pela Universidade Estadual de Londrina – UEL; especializou-se em Educação Especial no Centro de Estudos Superiores de Londrina, hoje Centro Universitário Filadélfia – UNIFIL, especializou-se, também, em Administração, Supervisão e Orientação pela Universidade Norte do Paraná – UNOPAR. Atuou como monitora pelo Movimento Brasileiro de Alfabetização – MOBRAL, Coordenadora Auxiliar das Pré-Escolas Municipais, Coordenadora do Projeto de Habilitação de Professores Não Titulados – HAPRONT; foi membro: do Sindicato dos Servidores Públicos de Cambé, da Associação de Moradores da Vila Mesquita, da Associação dos Funcionários Municipais de Cambé – AFMC, do Movimento Cristão Paz, Amor e Fraternidade – PAF; foi catequista e participou na equipe litúrgica das comunidades Santo Antonio e Santa Terezinha; foi professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental, atuando nesta última modalidade, também, com crianças especiais. Realizou o curso de Capelania Hospitalar, oferecido pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul -UFMS, tendo como meta realizar o consolo junto a pessoas doentes e seus familiares. Atuou como voluntária no ILITC – Instituto Londrinense de Instrução e Trabalho do Cego. Gosta de boa música, leitura, estudar, escrever, pintar e, ainda, estuda violão e canto.
marina_polonio@yahoo.com.br

Delicata

Noite alta. De véspera, portanto,
a Echinopsis subdenudata vai preparando
seu admirável desabrochar
meio à noturna escuridão.

Surpreendente e majestoso espetáculo
de tão efêmera vida,
cuja figura delgada e esguia,
no cálido alvorecer, busca o astro-rei
para mais e mais cintilar.

Beleza e encanto seu existir oferece,
seja no florescer,
seja no fenecer.

Surpresa presenciada e admirada por poucos,
em todas as fases e turnos desse evento poético
que a Mãe Natureza propicia.

Ao fim, lenta e suavemente
despe-se de sua formosura,
murchando sua rara, aparentemente frágil,
mas esplêndida flor.

Mesmo aí a beleza persiste, pois,
aparentemente imóvel, a preciosa flor
oferece novo espetáculo
até que sua vida se extinga completamente.

Inesquecível experiência o Criador propiciou
se possa assistir para relembrar, relembrar
e relembrar... Sua nada singela obra.

Marina Irene Beatriz Polonio
Capa
Créditos