POESIA PARA MUDAR O MUNDO - 2015 - BLOCOS ONLINE
Graça Graúna

GRAÇA GRAÚNA - Indígena potiguara, educadora universitária em Literatura e Direitos Humanos. Graduada, Bacharel, Especialista, Mestre e Doutora em Letras pela UFPE; Pós-Doutora em Literatura, Educação e Direitos Indígenas pela UMESP. Publicou "Canto Mestizo" (poesia, Ed. Blocos, 1999); "Tessituras da terra" (poesia, ed. M.E, 2000), "Tear da palavra" (poesia, Ed. Mulheres, 2001), "Criaturas de Ñanderu" (narrativa infantil e juvenil, Ed. Amarylis, 2010), "Contrapontos da Literatura Indígena Contemporânea no Brasil" (Mazza Edições, 2013), "Flor da mata" (haicais, Peninha Edições, 2014). Participa do projeto "Poesia para Mudar o Mundo", vol. 1 e 2, entre outras antologias poéticas no Brasil e no Exterior.
grauna3@gmail.com

Da humanidade levada pelas águas

Em memória de Aylan Kurdi

Viver é perigoso,
o poeta dizia.
Assim mesmo insistimos
em fazer a travessia.
Viver é perigoso,
mas seguimos
vestidos de coragem
na ânsia de encontrar
o olhar generoso
o abraço apertado
a mão amiga
que acolham os nossos sonhos...

Em meio à travessia
a humanidade
é levada pelas águas
e tudo que me fica
é uma tênue esperança
que se alastra pelo mundo
nos sonhos do pequeno anjo
de asas partidas.

Apesar das muralhas
e dos arames farpados,
o direito à Paz nos aproxima.
Viver é perigoso,
mas insistimos....

Nordeste do Brasil, 4 de setembro de 2015

Graça Graúna
Capa
Créditos