POESIA PARA MUDAR O MUNDO - 2015 - BLOCOS ONLINE
Teresa Vignoli

TERESA VIGNOLI - Meu nome é Teresa Vignoli, meu apelido é Teca. Sou carioca, psicoterapeuta e professora convidada em cursos de especialização em Gestalt-Terapia e Arte-Terapia. Fui, por pura intuição e amor ao Cerrado, morar em Brasília, em 78, de mala e cuia, e coração na mão. Recém-formada em Psicologia, um ano antes havia morado em São Paulo, onde estudei Jung com o grande mestre Pethö Sandor, depois de ter convivido diariamente, durante a graduação, com a mestra e grande amiga, Nise da Silveira. Foi ela a primeira pessoa que me incentivou a continuar escrevendo poesia, depois de ver meus primeiros esboços de versos, que a ela mostrei, timidamente. Participei de coletâneas no Rio, em São Paulo e em Brasília, onde me enturmei com poetas e outros obreiros da arte. Colecionei ao longo da estrada amigos preciosos, irmãos de sonhos e de alma. Algumas publicações aconteceram: estão listadas na biografia das edições anteriores do projeto "Poesia Para Mudar o Mundo", vol. 1 e 2. Este ano participei da exposição "Portal do Cerrado", inaugurada em 11 de fevereiro no Aeroporto de Brasília, da coletânea "Poderia ser uma crônica", da Organograma Livros, do Rio, e preparo um livro em parceria com o fotógrafo e psicoterapeuta Ronaldo Miranda Barbosa, que se chamará "Entre Mundos – fotopoemas". Moro, desde 1986, em Campinas. Coordeno, aqui e em outras cidades, oficinas de escrita intuitiva e criativa em projetos de educação, seminários, simpósios e cursos de especialização para psicoterapeutas. Onde houver pessoas interessadas em gente, poesia, crescimento e boa prosa, lá vou eu com minha malinha com poesias, motes variados, lápis coloridos, papel e caneta. Tenho um site, ainda em construção: "folhas.de/teresa/".
teresavignoli@gmail.com

Semeaduras

Não querer
o brilho de fora,

colher o trigo de ouro
que nasce
em campos vindouros.

Pois seja o futuro
o agora,
no brilho que vem de dentro,
na luz que anuncia
o vento,
na voz que sussurra a aurora.

Seremos um dia
um só povo
a semear só alentos,
a respirar novos pólens,
a tocar em toda Terra.

Todo braço
um só abraço
a enfeitar-se com flores
pra colheita de ternuras.

Caminho

Ser o passo,
estar no vão,

ser a folha
e a raiz.

Com o pássaro
ser o voo

e de voos
ser o grão.

Teresa Vignoli
Capa
Créditos